quarta-feira, 24 de junho de 2015

Meus amores em mim



Numa carruagem puxada por majestosos cavalos passeiam todos os meus amores, dão a volta aos mundos e vez por outra passam por mim fazendo que de mim exploda um sorriso que expulsa da boca novas estrelas -  Estrelas guias para meus amores. 
Alguns me acompanham desde a chegada ao aqui, outros se aproximam de mansinho e os reconheço, e alguns vem de maneira diferente, anunciando sua presença com feixes de fogo que me revolvem as entranhas, pois são criadores de terremotos. Como amo terremotos!! 
Na segurança da presença eterna, na surpresa do reencontro suave e na voracidade dos terremotos me confio a mim mesma através do gozo do viver, e de vez em quando subo na carruagem e com meus amores viajo os mundos, e pelos seus olhos vejo mares roxos, leio cartas de amor, descubro o medo da morte, me torno vida na dança dos girassóis, me alimento da terra através do que a terra cria, uivo com a lobas a noite, nasço como planta em concretos frios, amamento golfinhos e giro giro giro com os dervixes, parindo espirais de novos DNAs. E quando a carroça dos amores me devolve a meu lar eu durmo o sono dos que se sabem olhos, útero e coração. E sorrindo espero até ouvir novamente o tropel dos cavalos a me chamarem para uma nova expedição ao infinito...meus amores em mim e eu neles...